Opinião

Direito à Cidade x despejos no Rio de Janeiro

O pesquisador Erick Omena publicou artigo, no site da London School of Economics (LSE), sobre o Direito à Cidade no Brasil, em especial o processo de violação do direito à moradia de Vila Autódromo no Rio de Janeiro. Os processos de remoções já atingem a marca de 22 mil na capital fluminense.

É hora de efetivar o direito à moradia

Há décadas, a partir da questão do êxodo rural, as capitais, entre elas, Fortaleza, se viram diante de uma crescente demanda de habitação. Em um cenário de inexistência de uma política de habitacional, portanto, se formaram as primeiras favelas. Em Fortaleza, temos mais de 600 favelas e em torno de 100 áreas de risco.

A invisibilização da pobreza e dos pobres no Rio Olímpico

A tentativa de invisibilizar os pobres e a pobreza no momento em que o Rio de Janeiro se prepara para receber grandes eventos internacionais não se limita ao plano simbólico. Para 30 mil moradores da cidade, a remoção virtual do mapa do Google está se tornando real. Segundo dados do Comitê Popular da Copa e Olimpíadas, cerca de 8 mil pessoas já foram removidas, e cinco comunidades não existem mais. O procedimento é semelhante em toda a cidade: envio de famílias para periferia com oferta precária de serviços básicos, como transporte, baixo valor de indenizações e forte pressão da especulação imobiliária.

“Remover para construir; destruir para construir”

O que ocorre na Região Portuária do Rio, através da Operação Urbana Consorciada do Porto, é a demostração do papel estratégico do Estado em todo esse processo de transformação do solo urbano aos interesses da reprodução expandida do capital.

Só Dilma pode barrar despejo de assentamento Milton Santos, afirma MST

Militantes do MST, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, bloquearam 10 rodovias paulistas nesta quinta-feira, 20, para protestar contra o despejo iminente das 70 famílias que vivem no assentamento Milton Santos, em Americana, no interior do Estado. Jade Percassi, dirigente do MST, em entrevista à Reporter Lúcia Rodrigues, afirma que somente a presidente Dilma Rousseff pode reverter a determinação da justiça federal. Clique aqui para ouvir.

Últimos moradores da Vila Itororó podem ser despejados amanhã sem alternativa de moradia adequada

13 de dezembro de 2012 Esta semana recebi um e-mail da Antônia, moradora da Vila Itororó, no bairro da Bela Vista, em São Paulo. Ela é uma das 15 pessoas (de sete famílias) que ainda estão na Vila desde que um decreto de utilidade pública, em 2006, determinou o despejo dos moradores do local com [...]

Os desafios da reconstrução de Nova York

12 de novembro de 2012 Passado o furacão Sandy, um dos grandes desafios da cidade de Nova York, pouco abordado pelos meios de comunicação, é a reconstrução das moradias e o destino das famílias que tiveram suas casas destruídas ou danificadas. É importante lembrar que o inverno está se aproximando e que a reconstrução plena [...]

Até 4 mil famílias podem perder suas casas por obras da copa

A pesquisadora e geógrafa Mariana Fernandes Mendes tem observado e documentado a mudança por que passa Fortaleza para sediar a Copa do Mundo de 2014. Em “Intervenções Urbanas para a Copa do Mundo em 2014”, ela mostra como as obras do PAC seguem a lógica das “cidades modelo”, que tratam o espaço público como mercadoria, expulsam comunidades em benefício das zonas “ricas” e de obras que privilegiam o transporte privado.

Abusos contra os pobres

27 de junho de 2012 por Plínio de Arruda Sampaio Uma lei necessária: ao decidir por despejo, o juiz tem de mostrar que os sem-terra têm onde ficar. O Executivo tem de dar transporte até esse lugar Refletindo a condição de classe da maioria dos integrantes da magistratura, os mandados de despejo contra famílias sem-teto [...]

Cidades-urgentes: colocar a questão urbana na agenda nacional

08 de junho de 2012 por Erminia Maricato Enchentes, desmoronamentos com mortes, congestionamentos, crescimento exponencial da população moradora de favelas (ininterruptamente nos últimos 30 anos), aumento da segregação e da dispersão urbana, desmatamentos, ocupação de dunas, mangues, APPs (Áreas de Proteção Permanente) APMs (Áreas de Proteção dos Mananciais), poluição do ar, das praias, córregos, rios, [...]